sexta-feira, 29 de setembro de 2017

HAICAIS À MINHA MANEIRA

Ora bem, pôr os haicais em lume brando, temperados com alho e limão...
Eu sei, que vocês sabem que eu sei, que vocês sabem que não é nada disto.
Haicai ou haiku, é um pequeno poema de três versos, sem rima, originário do Japão, cujo tema principal é a Natureza.
Magui decidiu armar aos cucos e desferir aqui uns haicais (esquecendo a métrica padrão) sobre o tema eleições autárquicas, que como sabem, é uma força da natureza que nos fustiga os nerves.

Haicai disto,

Neste domingo primaveril
é de novo o povo chamado
a meter a cruz no sítio.

Quem não quiser meter
não mete, ora essa! piu, piu...
Principalmente, se estiver morto.

Mas, se preferirem ir
cagar ao pinhal, em vez de votar
ó depois não se "isaltinem"



16 comentários:

  1. Pequeno caso sério29 setembro, 2017

    :)))))))))))))))))

    'Pá, tão bom , carago!
    Não se isaltinem é maravilhoso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O tema eleições puxa muito pela minha imaginação, para não falar da minha veia poética, uma vez que nasci com ela entupida.
      Agradecida.

      Eliminar
  2. Está muito engraçado :) gostei do começo, "haicai disto". Bom fim se semana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Bem vinda aqui à tasca.
      Bom fim-de-semana.

      Eliminar
  3. Quer me parecer que o povo não vai aderir muito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez nestas eleições isso não aconteça.

      Eliminar
  4. Quero ver se não caio, para poder votar:)

    ResponderEliminar
  5. voltei sem ser seguidor
    Deste divertido espaço,
    Porém não sei com faço
    Pra te seguir, por favor

    Seja do jeito que for
    Ensine-me no passo a passo,
    Pois veja a um burro crasso
    Só mesmo com professor.

    E tu que és professorinha,
    Podes me botar na linha
    Para eu poder te seguir.

    Oh Magui, também te tinha
    Como seguidora minha
    No futuro: este porvir.

    Obrigado pela amáveis palavras postadas no meu blog e te procurarei sempre. Com relação às eleições, se não houver alguém menos ruim, sou de opinião que deve-se deixar um voto de protesto - a anulação dele para os políticos notarem que o cidadão não fez no pinheiral, mas fez na urna. Meu abraço fraterno, estima e votos que os resultados das urnas não sejam tão desoladores quanto no Brasil dos políticos corruptos. Laerte.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo poema Laerte.
      Corrupção existe em todo o lado, infelizmente. Mas, o que é verdadeiramente chocante em Portugal é o facto de eles não serem condenados, tudo passa impunemente.
      Um abraço.

      Eliminar
  6. Olá, não fui ao pinhal nem me isaltinei, mas fui votar, é o meu (dos outros também) dever cívico que cumpro religiosamente em todas as eleições contra a direita, fiquei a saber do seu dom poético Haicai/haiku, aconselho-a continuar com os belos poemas para os publicar mais tarde, ui... porque o inesperado acontece, quem sabe se ainda é nomeada e vencedora de um prémio Nobel.
    Feliz domingo e semana,
    AG

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu ainda não votei, mas votarei com certeza, como sempre tenho feito.
      Não tenho o seu dom poético, isto é apenas uma brincadeira, como sabe.
      Um abraço e boa semana.

      Eliminar
  7. por coincidência estou a ouvir o discurso de vitória do isaltino :D

    ResponderEliminar
  8. amei...e se for como eu que nã levei as lunetas e pus a cruz onde calhou. E esta hem? Beijinho. Mãe Maria

    ResponderEliminar
  9. Agora percebo a razão porque a Assunção teve tantos votos - miopia 😀

    ResponderEliminar