terça-feira, 7 de julho de 2020

SIGNORE MORRICONE

Compositor da banda sonora de dois dos meus filmes preferidos, "Era uma vez na América" e "Cinema Paraíso", Ennio Morricone deixou-nos ontem com a bonita idade de 91 anos.
Escreveu o próprio obituário, pena que não o tenha musicado.
Obrigada ao Maestro do cinema.







segunda-feira, 6 de julho de 2020

CONSELHO PARA LEVANTAR A ECONOMIA e não só

Quanto à decisão do governo britânico de não incluir Portugal no corredor turístico de Inglaterra, seria conveniente que o nosso país criasse uma equipa de negociadores, à semelhança da polícia em relação ao resgate de reféns, liderada por Zezé Camarinha, que tem um vasto currículo no que diz respeito às bifas aos turistas estrangeiros que nos visitam.
Mesmo que Zezé já esteja "aposentado", em tempo de guerra não se limpam armas e todos as estratégias são válidas para defender o país.
Go Zezé, put da cream.




quarta-feira, 1 de julho de 2020

A CINHA coise *

socialite de profissão, irmã da Canixe, da Xaroquinha, da Patarusca, mãe  da Paloquinha e da Isauridazinha, diz que apoia o Chega do (des)Ventura.

E prontes, a Beatriz Costa que me perdoe,

"Ai chega, chega
chega, chega ó minha agulha
Afasta, afasta, afasta
afasta o meu dedal
Ó Cinha brejeira não sejas trafulha
e vai mazé coser o avental.

- Ó Andrézinho eu não lhe disse que esta porrAAAAAAAAAAA não andava"


* ao que uma pessoa chega para vos animar (espero eu de que!)




segunda-feira, 29 de junho de 2020

FIZ UM ACORDO...

com o marido (o meu).
Vou eu às compras apenas uma vez por semana, se faltar o papel higiénico, lava-se o cu.
Quando chego com as compras, deposito-as à entrada da porta e ele trata de as desinfectar e arrumar, que esta cena do vírus poder vir acoplado à lata do atum ou no meio dos tomates já me desaustina os nervos, o tronco e os membros. 
E eu sou fraquinha dos nervos, tenho que os preservar, já o homem tem uns nervos de aço, benzódeus.
Somos a definição perfeita de yin e yang.

Depois desta tarefa estar concluída vamos caminhar à beira mar, para carregar energias e desempoeirar a carcaça.
É um dos momentos em que a pandemia desaparece, as pessoas trocam a máscara pelo fato de banho, a vida retoma a "normalidade" e eu volto ao mar da minha infância, que nunca me cansa.
Com a sua força e desprendimento vem acariciar-me os pés e sinto-me grata por isso.
Quem disse que não devemos voltar aos sítios onde fomos felizes?




quarta-feira, 24 de junho de 2020

MATAR O BICHO...

na gelataria Veneza, cujos proprietários são chineses.
A poucos metros de casa, dei a volta ao mundo e ao estômago.






segunda-feira, 22 de junho de 2020

ALTAMENTE...

que rima com ardentemente, advérbio utilizado pela Dra. Graça Freitas para expressar a sua vontade da realização da Champions em Lisboa.
Seja feita a sua vontade.
Como terá lugar no mês do meu aniversário, estou a pensar em fazer uma sardinhada no fim da grande final, no relvado.
Cada um terá direito a 3 sardinhas, um pedaço de broa, um copo de vinho e uma fatia de bolo.
Vai ser uma festarola, assim o Covid não me apanhe na curva e me deixe chegar aos 54.
Estão todos convidados, a classe médica em geral, os enfermeiros em particular.
O Marcelo, o Costa, a Gracinha, a Temido, o Sales, aquele senhor que substituiu o Centeno e nos faz as contas à vida.
O Paulo Portas não aceitou porque se deixou de arraiais e também vai de férias num submarino que está estacionado na baía de Cascais.
Up, up...







quarta-feira, 17 de junho de 2020

PARA OS AFICCIONADOS...

amigos, amantes, apaixonados, defensores, fãs, acorrentados das touradas, tende calma que está tudo a ser preparado ao mais ínfimo pormenor para o regresso desse espectáculo de grande valor sociocultural.
Estão a ser ultimadas as máscaras sociais para os touros e todas as partes interessadas estão a ser avaliadas.
Tarda nada a festa brava está de volta.
Olé

Imagem retirada algures da internet



segunda-feira, 15 de junho de 2020

LEVANTAI HOJE DE NOVO...

esses cus da cama.
Deixem-se de mimimimimis porque é segunda-feira.
Não se esqueçam dos milhões que têm de injectar na TAP, no Novo Banco, nas custas do processo EDP/António Mexia, onde não devia, acho que estou a esquecer alguns, mas por agora já são motivos suficientes para se deixarem de preguiça e estarem constantemente a reclamar que são mal remunerados e que o custo de vida aumenta bestialmente todos os dias.
E a crise económica provocada pelo Covid-19?
Não estão a pensar que são aqueles boys e girls lá de Bruxelas que a vão pagar, pois não?
Não há pachorra.
Lamentam-se, guincham, protestam, falam, falam e não fazem nada.
Menos palavras e mais acção.
Sejamos patriotas.

(Vamos tirar uma selfie com o Marcelo, que a azia já passa!)

sexta-feira, 12 de junho de 2020

AI PODES, PODES

Este Verão a minha Praia vai ter lotação máxima de 5800 pessoas.
Cá para mim os da terra devem ter prioridade, por isso nem me chego à banca das senhas.
Também queriam ter uma praia, ? Palecos!
Mas, como sou uma alma caridosa, bem negociado cedo o meu lugar, entre as 12h e as 16h.
Preparem o livro de cheques e enviem mensagem privada.
Aviso já que o contrato só é válido depois de verificar que o cheque tem uma farta cabeleira.





segunda-feira, 8 de junho de 2020

A PESSOA...

confinou. A pessoa começou a desconfiar de tudo, a ter medo de tudo, a ter nojo de tudo.
A pessoa saía à rua, apenas porque tinha que encher e vazar a tripa.
A pessoa desconfinou.
Começou a trabalhar presencialmente.
Ao fim do primeiro dia, os nervos da pessoa estavam mais frangalhados do que é normal.
A pouco e pouco a pessoa começa a descontrair um cadito, para não endoidecer completamente.
Já está mais no relex, contudo, tentando não descurar as recomendações da DGS.
No último fim de semana de Maio a pessoa trabalhou e perdeu a conta ao número de pessoas com quem teve contacto, sempre com a cassete em play "ó faxavôr não ultrapassar a linha bem visível no chão".
Nunca andaram ao catraio, no final do Verão, com os olhos postos na areia à procura duma moeda.
A determinada altura, a pessoa já desvairada, alertava para que se mantivesse o devido distancionamento!
A pessoa passou (se é que é possível) a lavar e desinfectar mais as mãos.
A pessoa já foi ao cabeleireiro e à esteticista, deu umas caminhadas à beira-mar, a pessoa já se sentou numa esplanada, a pessoa já comprou comida num teiqueauei.
Ainda não arranjou coragem para ir ao oftalmologista, mas lá chegará o tempo e se fizer questão de continuar a ver.
A pessoa tem ganas de ir de férias, nem que seja de tenda às costas, num camião de transporte de suínos.
A pessoa até se sentiria normal, se alguma vez, o tivesse sido.
Não sei quem é esta pessoa, mas podia ser eu, talequalmente.








quinta-feira, 28 de maio de 2020

FOI ONTEM, UAU...

dia de cabeleireiro.
Nunca me tinha despachado tão rapidamente, o salão todo para mim, até me senti a Duquesa da Bridge d´Arrábida.
Saí de lá, ainda estava um calor infernal.
De regresso a casa, sozinha com os meu pensamentos - o que nem sempre é seguro - estava com vontade de ir esplanar à beira mar, comer um gelado, ver o pôr do sol e pensar na morte da bezerra.
Estacionei o carro em casa e entrei... mas, antes de mim, já tinham entrado centenas de mosquitos, vindos dos confins do inferno.
Lá se foi a esplanada, o gelado, o pôr do sol e a bezerra, que assim-comá-sim, já se tinha finado.
Andei uma eternidade a caçar mosquitos de aspirador em punho, suava por todos os poros, tive que prender o cabelo, acabadinho de sair das mãos da cabeleireira.
No fim, meditei, alinh(av)ei os chakras e cheguei à conclusão que nada acontece por acaso.
Foi apenas uma forma que o Universo encontrou para me fazer esquecer do Covid por umas horas.
Bem se pode ir foder.

terça-feira, 26 de maio de 2020

HOMESSA

Para além da máscara social vou começar a levar também a bomba social, quando for às compras.
Não se dêem ao trabalho de perguntar que eu explico, aqui e agora, neste preciso momento.
Para evitar que certas pessoas se colem a mim, não conseguindo distanciar-se 20 cm, nem esperar 5 minutos que eu dê de frosques, levo uma bomba de mau cheiro, ou seja, peidos e bufas engarrafados e tau, a pessoa começa a chegar-se e ali vai disto...
Com a máscara no focinho deve ser mais catita sentir o cheirinho.
Também já pensei em adoptar uma doninha-fedorenta e levá-la no bolso para o mesmo efeito.




quinta-feira, 21 de maio de 2020

21 A 21

Longo e dourado como os teus cabelos, 
cor de mel como os teus olhos,
franco e doce como o teu sorriso,
assim, é o meu amor por ti.
Sempre, para sempre.
Parabéns minha filha.




sexta-feira, 15 de maio de 2020

Ó BALANCÊ, BALANCÊ

Comecei em tele-trabalho no dia 16 de Março.
Mudei a posição do computador 4 vezes.
Custou-me a habituar, no trabalho presencial não estou tanto tempo agarrada ao computador.
Tive(mos) que reinventar a forma de trabalhar, o que é um factor positivo.
No momento em que já estava adaptada, vou começar a trabalhar presencialmente.
Vai correr bem, digo eu cus nervos.
Tenho saudades das minhas colegas, do espaço, mas se me dessem opção ficava mais tempo em casa, que a cagunfa é muita.

Apenas tenho saído para as compras essenciais, uma vez, na loucura, duas vezes por semana.
Ao principio tudo me metia nojo, agora estou expert em desinfectar o que me entra em casa, mas mesmo assim, é uma boa merda, e penso se não será um ritual nos próximos longos tempos.
Quando chego do supermercado as pernas tremem como se estivesse horas a fio a treinar no Cirque du Soleil. 

Com o que parti e esfudacei em casa nestes últimos 2 meses, quando comprar novo, num instante a economia do país se restabelece.

Aos finais de tarde e ao fim-de-semana, no tempo que as lides domésticas (ou tortura, como quiserem 😡) me deixa livre, vou até ao meu jardim apanhar sol, quando ele dá um ar da sua graça.
Tenho lá um pequeno cadeirão, olho pra ele, ele olha pra mim.
Sento-me, não sento?
Sei lá se não está carregadinho de covides.
Volto atrás, trago uma manta e cubro-o para depois me sentar.
A banalidade com que fazia muitas coisas a ser ponderada ao milímetro

Costumo dizer que não tendo jeito para nada, faço um pouco de tudo.
Não consigo entusiasmar-me pela cozinha (a não ser para fazer bolos) deve ser algum gene que nasce com a pessoa, definitivamente tenho esse défice.
Tão depressa não meto os cotos num restaurante, portanto não há outro jeito maneira de alimentar o povo cá de casa.
Valha-me que também eles se chegam ao fogão se querem comer e não fazem favor nenhum.

Tenho as nails numa miséria, mas acho que se for à esteticista e as meter no forno, cai-me a pele das mãos, o que não dá muito jeito.
Quanto ao cabelo já decidi, vou fazer este penteado, tipo amuleto da sorte.





terça-feira, 12 de maio de 2020

DIA INTERNACIONAL DO ENFERMEIRO

Os enfermeiros não precisam de palmas, necessitam do respeito e do reconhecimento de toda a gente.
Todos os dias. 
Permitam-me lembrar aqui, dois enfermeiros muito especiais - como o são todos - a minha filha e o meu genro, que não vejo há cerca de 5 meses, nem sei quando isso irá acontecer.
Está tudo bem.
Vai ficar tudo bem, para os que sobreviverem e ultrapassarem esta pandemia.
E eles vão, eu sei.






segunda-feira, 11 de maio de 2020

CEREJAS

As primeiras do ano.
Sensaboronas.
Não importa, há que preencher os dias com a normalidade possível.
Guardei os caroços, não me apareça à porta algum dos ricos de que falou o governador do Banco de Portugal, os tais, que com a pandemia vão sair mais penalizados do que os pobres.
 






quinta-feira, 7 de maio de 2020

terça-feira, 5 de maio de 2020

DIA MUNDIAL DA HIGIENE DAS MÃOS...

… assinala-se a 5 de Maio.
Nunca é demais lembrar, principalmente em tempo de pandemia causada por Covid-19.
Lavem as mãos.
Lavem as mãos.
Lavem as mãos.
Lavem as mãos.
Lavem as mãos.
Lavem as mãos... pá.








segunda-feira, 4 de maio de 2020

DESCONFI(N)AMENTO

Continuo em tele-trabalho, mas vai acontecer em breve o meu regresso ao local de trabalho.
Enfiar novamente o computador de serviço (que mais parece um LCD) e o resto dos cacarecos, no carro que os trouxe até casa.
Trabalho com público e não é com um tipo específico de público.
É um género de praia, mas sem nadador-salvador, com pessoas de todo o género, feitio, idade, gostos e tudo e tudi.
Não sei em que condições vou trabalhar.
Aredito que a minha entidade patronal faculte as máscaras sociais, o gel desinfectante e as condições de higienização do espaço.
Mas isso não me chega. 
Exijo fraldas porque estou acagaçada.
Desejo ficar zen quando me entrar alguém porta dentro sem máscara, porque vai acontecer.
Portanto, necessito de formação na área de terapias de relaxamento.
Preciso de hipnose que me faça regredir ao tempo em que eu não dizia palavrões, nem sabia o seu significado.
Sou uma pessoa de sorriso aberto, tenho de aprender a fechá-lo mais vezes, mas, prontes, aí a máscara vai ajudar.
Valha-me ter audição selectiva...



quinta-feira, 30 de abril de 2020

ESTE BLOG TAMBÉM CONSPIRA

Pois, é verdade, também vou botar discurso acerca da origem do coronavírus.
Deixem os cheneses sogaditos que a única culpa que se lhes pode apontar é o facto de comerem tudo quanto rabeia.
Ainda não perceberam que essas porras todas não lhes faz bem nenhum, que lhes provoca aquele tom de pele amarelo bufa e os olhos em bico.
Para mim outros factores se alevantam, só não vê quem não quer ou é ceguinho.
Reparem nestas fotos das semanas da moda das capitais faxion deste mundo, anteriores a 2020.
Não me lixem...







terça-feira, 28 de abril de 2020

O HOMEM SONHA...

a obra nasce, já dizia Fernando Pessoa.
Pois, meu caro Fernando, a sua obra será eterna, já a minha, foi um ar que lhe deu.





segunda-feira, 27 de abril de 2020

QUARENTOLA

No sábado também cantei a Grândola - ABRIL sempre - de espanador ao peito.
Dancei o corridinho com o aspirador e o malhão com a esfregona.
Fiz a espargata lateral em cima dum escadote, para limpar o topo dos móveis, não estivesse o vírus práli escondido.
Ouvi a longa conversa que mantiveram a tábua de passar e o ferro, indiferentes à minha presença. 
Muitas queixas da tábua, sempre na horizontal, a levar com o ferro para cima e para baixo, que ora engoma a camisa do senhor doutor, ora dá uma passagem ligeira nas ceroulas do ti Alfredo.
Percebi ali uma relação de amor/ódio, porque mesmo cansados, no fundo, não passam um sem o outro.
Desinfectei puxadores de portas e armários, interruptores, superfícies, torneiras, vidros, que me exigiram pastilhas para a rouquidão que a lixívia lhes causa.
Quando abri a máquina de lavar loiça, a bicha ia-me saltando em cima.
Acha inadmissível tanta lavagem ultimamente e ameaçou com layoff.
- Olha filha, vai-te queixar ó Covid-19, tenho nada com isso.
O fogão nem piou porque sabe bem que ando fartinha dele, e tem receio que o troque por alguma Bimby.
Por fim perguntei às paredes como se sentem com tanta recauchutagem que já levaram, desde tinta a placas de gesso cartonado, porque também eu ando a precisar de qualquer merda que me suavize a pele e não deixe entrar as humidades, mas não ouvi a resposta, acho que desmaiei.





quinta-feira, 23 de abril de 2020

Ó LARILÓLELA

como este mês não há nenhum,
pois recebi de aumento 2,61€*

Ó larilólela
cala-te bem caladinha
que há gente que não levou nadinha

Ó larilólela
é o caso de médicos e enfermeiros
que assim comá sim, não vão a casa,
logo não precisam de pilim

Ó larilólela
ninguém bate Portugal
no Covid e no capital

Ó larilólela
vou fazer um mealheiro
para oferecer ao Costa Artilheiro

Ó larilólela
somos fodidos de todo o lado
vou mazé daqui embora
no meu cavalo alado.

* (são mais 0,07€ mas não rimava)



terça-feira, 21 de abril de 2020

A CIÊNCIA A DAR-ME RAZÃO

Sempre pensei que muitos homens se desgraçam irremediavelmente porque pensam com a cabeça (e seus apêndices) errada.

"Um novo estudo sugere que os testículos podem ser uma área fértil para a propagação do novo coronavírus ou Sars-coV-2, causador da doença da Covid-19. Permitindo que o vírus fatal afete os homens por mais tempo e mais severamente."



segunda-feira, 20 de abril de 2020

MEXE E REMEXE

Ontem armei-me em Magui Marie Kondo e destralhei, que uma pessoa tem que ocupar a mente nem que seja a contar pintelhos.
Qué dizer, tirei dum lado e pus noutro.
Abri uma arca onde ainda tenho cenas do enxoval - sou do tempo em que as mães começavam a preparar o enxoval das filhas, assim que acabavam de parir - de onde tirei algum proveito.
Sacas de tecido para pão. Quando comprar pão, chego a casa, pego nele com uma pinça e enfio-o na saca antigamente.
Panos de cozinha com ponto picô, para substituir os que tenho a uso que já viram melhores dias.
Toalhas de mesa todas catitas, o facto de terem perto de 40 anos, não lhes retira beleza, ora essa.
E a cereja no topo do bolo - que depois da foto voltou a recolher ao fundo da arca - este penacho.


Passo a explicar o que é, que vós sois pessoas simples.
Uma salva, 2 passarinhos com um biquinho, onde foram depositadas as alianças de casamento no ano de 1990 d. C.

Para a próxima talvez encontre o vestido de casamento que me irá ser muito útil para transformar em máscaras sociais.