sexta-feira, 15 de novembro de 2019

ASSINAR PETIÇÃO

Esta petição visa recolher assinaturas e apoios para que o Natal passe a vigorar apenas de 4 em 4 anos, como os anos bissextos.
É escandaloso que apareça todos os anos, para mais, no Inverno, sempre com cara deslavada e muito bem intencionado.
Não há paciência para iluminações natalícias no princípio de Novembro, não há pachorra (nem dinheiro) para comprar lembranças de que ninguém precisa e sempre à última hora, ca pessoa até fica em ânsias.
Não se aguenta comer até saltar o botão das calças, com a desculpa que é Natal, tende vergonha que o Menino Jesus era pobre e não foi o ouro que Belchior lhe ofereceu que o enriqueceu.
Era uma singela pulseira que teve destino igual às que as minhas filhas tiveram, perdida para sempre, que o Menino era uma criança como as outras, depois cresceu e como qualquer adulto começou a alucinar e deu-lhe a panca para apregoar que era filho dum Deus.
Nem sequer há certeza que o nascimento tenha ocorrido no dia 25 Dezembro.
Faziam à moda da minha terra no tempo da outra senhora.
As crianças nasciam e ninguém ia a correr registá-las na sede de concelho.
Havia um senhor encarregue de o fazer, que só se dava a esse trabalho passado algum tempo, quando já não se lembrava do dia certo em que tinha nascido a Maria e o Manel, por isso existe tanta gente com a data de nascimento errada nos documentos oficiais.
Mas, o que interessa mesmo é assinar a petição que acabe com este abuso todos os anos.
Não são aceites assinaturas de Testemunhas de Jeová.




terça-feira, 12 de novembro de 2019

PIPOQUIPIRICANDO

Como eu também não sabia, mas fiquei a saber e ainda bem, decorreu no passado dia 10, n´América, os People´s Choice Awards.
Estando a Pipoca mai doce, ocupada a vender produtos a retalho e a ter que ir à Câmara Municipal requerer o cartão de vendedora ambulante, pediu-me encarecidamente que comentasse as fatiotas que por lá surgiram.
Estive renitente em aceitar, afinal Este blog tem um nome sério a defender, mas prontes, é difícil resistir a uma pipoca.
A escolha é aleatória e foi feita enquanto as castanhas assavam.

Para começar, o quarteto família Adams Kardashian.
Sei lá o que diga, lá está, não tenho estudos para isto, mas assim de repente...  só se estraga uma casa.



O que é que está maravilhoso nesta foto da Gwen Stefani?
O corpete? O repolho a tapar a xaroca?  
As botas da Zara?
O lençol que veio agarrado, porque adormeceu e foi a despachar?
Nada disso, maravilhoso só mesmo o gajo.



Jenna Dewan, supé grávida, levou um vestido prático, não fosse a criança nascer ali de cesariana e serem precisos agrafos para cozer as miudezas.



Pink. Pink. Isto faz-se a uma filha?
Depois queixa-te que a miúda tem falta de auto-estima e acha que é feia.
Pudera, vestida  com os reposteiros comprados no OLX.



Jeremy Scott em modo forcado da Chamusca, disposto a dar o manifesto ao touro.



Esta rapariga, de sua graça Lisa Rinna, estava com uma constipação terrível e colocou um maço de lenços de papel em cada manga do vestido, tásse mesmo a ver para quê.


A  actriz Maggie Q, que também é activista dos direitos dos animais, homenageou desta forma as avestruzes e enterrou a cabeça numa flute de champanhe (à falta de areia) por não ter recebido nenhum award.


Noah Schnap? 
Eu diria que é filho do Michael Jackson, mas como o homem só "fazia" filhos loiros, calhando é só um sósia da fase black.



segunda-feira, 11 de novembro de 2019

AI SE EU FOSSE RICA

Não acabava com a miséria no mundo, que o mundo é grande e a miséria maior, não esquecendo os canalhas que lucram à conta da miséria alheia, e como sou contra a pena de morte...

Se eu fosse rica - e porque já levo tantos anos de contagem de tostões - acho que nunca seria excêntrica.
Não gosto de chocolates Ferrero Rocher.
Duvido que exista neste mundo um par de sapatos, botas, chanatas, etc., que não me fodam os pés.
Mesmo com uns Jimmy Choo ou Louboutin tenho a certeza que chegava ao fim do dia a maldizer a minha vida e os chispes que me calharam na rifa, a não ser que os Choo-boutin me permitissem flutuar.
As amostras de comida que servem nos restaurantes michelinos, são a minha cara, porque aquilo destina-se a pessoas como eu, que comem pouco, mas quando me trouxessem a conta, armava-me em unhas de fome e mandava chamar a polícia de intervenção com o gás lacrimogéneo para gasear aquela gente toda.
Ó depois estou em crer que um casaco de 50€ agasalha tanto como um de 5000€.
E dizeis vós - filhinha com um casaco de 4 (ou 5 ou 6) dígitos em cima dos costados, todó mundo te trata nas palminhas da mão, nem que sejas uma grandessíssima vaca.
Pois que alguém me destrate, por vestir uma tóilete da boutique Ciganô e vai ver o que é bom pró peido.
E aquela cena de andar sempre a viajar duma banda prá outra?
Deve ser a mesma sensação de ir beber umas bejecas e comer tremoços, não dá luta (a não ser que se abuse da bejeca.)
Os bancos, os offshores de volta duma pessoa; ora ponha aqui, ora ponha aqui o seu dinheiro, ora ponha aqui ao pé do meu. Uma caturreira.
A pessoa ter que se arrastar até aos tribunais que tresandam a mofo, para ir defender um amigalhaço, pois, que sim senhor, lhe emprestou 100 milhões de euros, atão, mas qué isto, já não se pode ser amigo do seu amigo.
Cansei. Definitivamente não tenho perfil para ser rica.
Mas sou uma rica pessoa, um diamante - em bruto.





quarta-feira, 6 de novembro de 2019

OS PORTUGUESES E A FICÇÃO CIENTÍFICA

Li uma notícia que refere que séries televisivas como Anatomia de Grey e New Amsterdam, que são passadas em ambiente hospitalar continuam a conquistar os portugueses.
É fácil de perceber.
Aquilo é tudo com que os portugueses sonham, e não me refiro a sangue, tripas, viroses, bactérias, drenos, infecções, congestões...
O que a malta quer é chegar ao hospital e ser atendida, assim na loucura, em 30 minutos, com toda uma equipa médica a estudar o seu caso, com médicos a interessarem-se não só em tratar a doença, mas também - pasme-se - a tratarem o doente como um ser humano que merece cuidados e carinho.
Conseguem visualizar a coisa aí no hospital da vossa zona?
Já vejo o brilho nos vossos olhos, caramba.
´tão a ver, não ser necessário requerer por escrito numa folha timbrada de 25 linhas, para que o(a) senhor(a) doutor(a) vos dispense 5 minutos do seu tempo para informar se vocês ou algum familiar vão quinar nos entretantos ou se ainda há esperança para viver até ao término da Operação Marquês.
Não comecem já a babar, isto ainda vai melhorar.
Precisam de uma cirurgia urgente? Qual quê esperar meses, anos por ela, çagora
Comecem a fechar as pálpebras que já estão a afiar a faca e tarda nada estão a acordar numa enfermaria fofinha, onde vos servem uma refeição que a Chef Ermelinda confeccionou na cozinha imaculada do hospital, nada como um restaurante que havia aqui à minha beira onde, segundo consta, o proprietário cuspia no frango que estava a assar para acalmar a brasa.
Não bastando tanta atenção que até nos põe a ver unicórnios, esta malta dos hospitais é toda linda comóamores e não há cá auxiliares carrancudos, não senhores, quem nos coloca a arrastadeira é o médico himself ou himselfa.
E os corredores dos serviços de urgência? Olhem práquilo, nem uma maca, nada, tudo despachado, inté dá gosto de ver. 
O Usain Bolt podia perfeitamente treinar por ali.
Calma. Não precisam de gritar, temos bons profissionais e a culpa é do sistema.
Atão e o sistema não somos nós que o permitimos? 
Vamos, mazé, continuar a ver a Grey e o Amsterdam para acalmar os nerves, que a erosão costeira impede-nos de enterrar a cabeça na areia.




segunda-feira, 4 de novembro de 2019

EU E O MÊS DE NOVEMBRO

Há certos meses do ano a-modos-com-que-embirro. Novembro era um deles.
O meu pai faz anos neste mês, mas é lá para os finalmentes, já a lembrar Dezembro, mês do Menino Jesus e do Natal, cenas que eu gosto, mas com as quais já vou embirrando (sou pessoa de embirrações!)
Conheci o homem e comecei a namorar não augurando nada de bom, afinal ele faz anos em Novembro.
Quando decidimos casar, pumbas, em Novembro, ora nem mais nem ontem.
No dia do casório o espelho do meu quarto, esbardalhou-se no chão e fez-se em mil pedaços.
Mau presságio.
Afinal não, já estamos casados há 29 anos (casei criança!)
Lua-de-mel a exigir viagem de avião, mau porra, nunca tinha entrado em tal bicho, logo em Novembro, tomei um ansiolítico e correu bem.
Primeira gravidez. O bebé vai nascer em Maio, mês fofinho. Não, não nasceu, a criança não estava destinada a ser minha.
Nova gravidez. Mês de nascimento?
Novembro, claro. Toma para não seres parva.
E é isto, Novembro tem-me feito bem.
É favor não desiludir.

 
 


terça-feira, 29 de outubro de 2019

VALE A PENA VER ISTO

e se quiserem, pensar nisto, como diz um senhor na rádio.
Cada um ganha a vida como quer e pode (desde que não seja às custas de uns e de outros, que o mesmo é dizer, sempre dos mesmos) nada contra.
Cada um veste o que quer, sim senhores.
Cada um bamboleia para o lado que melhor lhe convém, e eu com isso.
Cada um canta e encanta como sabe melhor, oh pá, lindamente.
Cada um tem a vidinha que escolheu e é muito feliz, super.
Viva a liberdade de cada um se espremer expressar.
Agora, que me azedam os nervos, azedam, quando pessoas que nascem com uma piroca entre as pernas - homens, acho eu - apresentam estes corpos de gaja, mas em bom.
Bem tonificados, sem ponta de gordura, celulite, estrias, flacidez, pilosidade, com as tias emproadas como só as tias sabem estar, caminhar com elegância em cima de high heels e com a saia travadinha, travadinha, que Jasus...
Hum... não é uma saia?! ´sa gora, lá por estar descaída não deixa de o ser, mas se quiserem chamem-lhe vestido, a ver se eu me amofino.
Tenho a certeza que Sonique, nome de guerra da/do artista, tem no seu repertório a música "Atirei o pau ao gato"!





segunda-feira, 28 de outubro de 2019

MAGUI PATROA, MAGUI EMPREGADA

Magui patroa (só para pagar contas, mas isso não interessa nada) ordenou a Magui empregada que limpasse a viatura na qual se desloca todos os dias.
Magui empregada protestou e ameaçou com queixa no sindicato e greve, ora porra, a um domingo é que ia fazer tal trabalho, que nem sequer era considerado trabalho suplementar para poder ir buscar mais uns trocos.
Magui patroa fez ouvidos de mercador, virou costas sem antes advertir Magui empregada que a metia no olho da rua sem direito a subsídio de desemprego.
Lá vai Magui empregada a praguejar, munida de aspirador, pano do pó, pano dos vidros, spray para os estofos e outros et ceteras.
Abre o carro e indigna-se com o estado do mesmo.
- Sua bruxa - grita para Magui patroa - não tem vergonha nessas fuças. 
Mas, M. patroa não a ouviu, embrenhada que estava a ler uma revista do social, ávida de descobrir se constava nalguma fotografia da última vernissage do pastel de massa tenra a que tinha assistido. 
Magui empregada aspirou, limpou, lavou. Deixou a viatura sem um grão de areia.
No fim do trabalho foi à loja dos cheneses e trouxe 5 pares de chinelos de quarto que mandou colocar na livreta da conta da patroa, e colocou-os dentro do carro juntamente com um post-it a dizer "É favor deixar os sapatos à entrada".
Como vingança foi ao frigorífico e deu conta do resto da mousse de oreo (que nem aprecia por aí além) que a filha da patroa tinha feito no dia anterior.
Olhou com escárnio para o monte de roupa que Magui patroa lhe tinha deixado para passar a ferro e sentou-se em cima dela onde dormitou até à hora de saída.
E é esta luta diária, entre Magui patroa e Magui empregada.


Notas para memória presente e futura;
1º-  este post não é patrocinado pelas bolachas Oreo, as ditas foram compradas por Magui patroa a pedido de su hija.
2º- O título do post é desinspirado na rábula "Olivia patroa, Olivia costureira" da grande actriz que foi Ivone Silva.
    

quinta-feira, 24 de outubro de 2019

segunda-feira, 21 de outubro de 2019

UM MÊS

Há mães que sonham em ver as filhas vestidas de noiva e tudo bem.
Eu nunca fui esse tipo de mãe. Tudo bem.
Há mães que sonham com a chegada dum príncipe encantado para as suas meninas e tudo bem.
Eu nunca fui esse tipo de mãe. Tudo bem.
Há mães que se sobressaltam com os namoros das filhas, ou com a falta deles e tudo bem
Eu nunca fui esse tipo de mãe. Tudo bem.
Faz hoje um mês que a minha filha mais velha me deu tudo aquilo com que nunca sonhei, casou com o seu príncipe encantado.
E eu agradeço-lhe por me ter proporcionado essa experiência, agradeço ter sido tão feliz nesse dia, agradeço pelas lágrimas que chorei, pelos abraços que partilhei, pelos sorrisos que nunca esquecerei.
A vida é boa quando nos surpreende e nos extasia.





sexta-feira, 18 de outubro de 2019

segunda-feira, 14 de outubro de 2019

ANSIEDADE NA 1ª PESSOA

Os sinais começaram a manifestar-se meses antes, visão turva, taquicardia, aumento da tensão arterial, falta de ar e de energia, "borboletas" no estômago, tremores, um mal-estar terrível, vindos do nada e eu sem lhes ligar importância, a desculpá-los com cansaço.
Até ao dia em que me atiraram para o hospital, por duas vezes, durante o período de férias.
A partir daí nunca mais pararam, eu que já sou magra, parecia um cadáver ambulante, olhava ao espelho e não me reconhecia.
As pessoas são boas a dar palpites, a aconselhar, a gozar com a situação, mas o passo primordial tinha que ser meu.
Sabia que não estava maluca nem deprimida, sabia que não aguentava por muito mais tempo, sabia que aqueles sintomas que me levavam a crer que estava à beira dum enfarte me iam devorando aos poucos.
Não podia continua a desejar que chegasse a noite para poder dormir e não sentir nada, não podia continuar a viver apavorada com medo de quinar com isto, não podia continuar a fazer um esforço descomunal para que as minhas filhas não se apercebessem do tamanho do meu sofrimento, não podia nem queria.
Por isso tomei consciência que padecia duma doença psicossomática e que precisava de consultar um psiquiatra, facto que nem nos meus piores pesadelos me passaria pela cabeça. Pois...
Tive a sorte de acertar com um excelente profissional, tive a sorte de me dar bem com a medicação prescrita, tive (tenho) a sorte de lhe poder pagar 100€ por consulta.
Passados 5 anos, continuo a tomar medicação, mas agora, com dosagem mais baixa.
Tenho um medicamento em caso de SOS - daqueles mesmo fixes que a pessoa mete debaixo da língua - que me irá acompanhar o resto da vida.
Conheço pessoas mais novas do que eu que sofrem do mesmo problema e têm sintomas muito mais graves.
Meus amigos, as crises de ansiedade são fodidas e têm que ser levadas muito a sério.
Ignorem as pessoas sábias que acham que é mania vossa, eu rio-me muito com elas, afinal tudo tem um lado positivo, certo? 
Ignorem quando alguém se incomoda por estarem a mascar pastilha elástica que disfarça o sabor amargo que os medicamentos deixam na boca, ou então não ignorem e partam a loiça toda, afinal têm uma boa desculpa!
Cuidem-se.







sexta-feira, 11 de outubro de 2019

ESCLARECIMENTO

Agora que o PAN atingiu o nirvana ao conseguir eleger 4 deputados e porque não vá o Diabo tecê-las, venho por este meio esclarecer que o meu animal de estimação se encontra preso por uma pata por pouquíssimo tempo.
Nada comeis temeis.






quarta-feira, 9 de outubro de 2019

MAGUI EM MODO SOGRA

Maravilhosa como sempre, que querem que vos diga?
A única diferença é que tenho a família oficialmente aumentada, que gosto muito do meu genro, que para além de ser uma jóia de moço trata lindamente a minha filha e isso é que é realmente importante.
Atão e não te sentes a modes que mais responsável e com ganas de elevar Este blog a outro nível, mais eloquente, relevante e com opiniões mais fecundas que não interessem apenas às bichas-amarelas? (Não sabem quem são as tais bichas? Temos pena!)
Perguntam vocês com enfadonho interesse.
Responsável sempre fui e faço questão de continuar, o que não impede de  manter o meu lado palhaça aqui no estabelecimento, se querem ler artigos de opinião inteligentes e interessantes desamparem-me a loja e leiam o Correio da Manhã.
E não te sentes mais velha?
Oi, como assim, hum??
Querem lá ver que ainda agora a minha rica filha se casou e já estão a acusá-la e ao marido de me roubarem a juventude?
Eu cá não sou a Greta - não a Garbo, a outra sueca - a quem roubaram a infância, só fui gamada uma vez em Lisboa, onde me palmaram a carteira com cinco contos de réis e também tive uma cena com essa (im)prestável instituição que é a Caixa Geral de Depósitos, em consequência da qual retirei as paletes de dinheiro que lá tinha.
Adiante, que não foi a isto que vim, já me estou a esticar muito, tarda nada estou em bicos-de-pés, o que não condiz com a minha condição de senhora delicada.
Posto isto




de quem toda a gente fala, eu incluída, mas de inveja, por não as ter assim direitas que nem um fuso, abalo que se faz tarde... e é bem verdade que as conversas são como as cerejas e as cerejas são tão boas redondinhas como as mamas da Diana.



segunda-feira, 7 de outubro de 2019

VELOCIDADE FURIBUNDA

Esta pessoa não é adepta de velocidades, esta pessoa fica cagadinha de medo com cenas que vê quando conduz, esta pessoa não é fã de filmes de velocidades furiosas, nem de desportos automobilísticos, esta pessoa ainda se lembra do acidente que vitimou Ayrton Senna.
Por isso esta pessoa ficou passada dos carretos (o que não é nada típico nela) quando na passada sexta-feira, foi buscar a sua mainova que chegava no expresso das 21h e se viu envolvida no meio do rally em plena cidade.
Encosta à borda para deixar passar os ralianos para não ser abalroada, vai numa recta mas trava para deixar entrar na estrada os ditos que lhe apareceram à direita vindos do falecido pinhal de Leiria, ai Jasus que chiadeira é esta nos travões, afinal é do carro do rally que vem atrás, foge! dá voltas no salgado até conseguir chegar perto dos Sete Rios cá do sítio.
Mas é tudo normal, ? Eu é que sou esquisita.
Bardamerdamazé.


terça-feira, 1 de outubro de 2019

MINHA FILHA

estavas (ainda mais) linda, no dia especial que escolheste para casar.
Que bela festa fizemos todos juntos.
Continua sempre a escolher o caminho mais difícil, o da felicidade.
Amo-te muito.


Fotografia Daniela Pires


quinta-feira, 12 de setembro de 2019

I ´LL BE BACK

que é como quem diz, vou ali e já venho.
Este blog vai fazer uma pausa até Outubro, penso eu de que!
Não saiam dos vossos lugares, que o tempo passa a correr e tarda nada é Natal, portanto, Outubro chega entretanto.
Não gastem o stock de lenços de papel para limparem as lágrimas, a baba e a ranhoca, sejam amigos do ambiente, a manga da camisa serve perfeitamente.
Esporadicamente irei visitar-vos no facecoiso e nos vossos blogues, que são as duas internetes por onde navego com bússola, astrolábio e quadrante.
Portem-se mal.


segunda-feira, 9 de setembro de 2019

MODA PRÉ REFORMA

Nesta altura do campeonato, já começo a pensar na reforma.
Bem vos oiço daqui - olha-me esta na flor da idade (!) com bom lombo para trabalhar e coise.
Calma, que tenho 30 anos de carreira contributiva, há dias que a falta de pachorra se instala e que estou fartinha de me levantar de madrugada, é um abuso.
Nesses dias menos bons e nos outros também, penso, ai Jasus, mas eu tenho que trabalhar até aos 66, 67, nem sei bem. Mais 13 ou 14 anos, caredo...
Então à beira dos 70 é que vou gozar mais a vidinha, sem horários, com menos responsabilidade, sem a carrada de nerves c´a pessoa apanha derivado do trabalho?
E euros para a reforma va haber
De uma coisa podem ter a certeza, a partir dos 60 é nestes preparos que vou chegar todos os dias ao trabalho. 
Chiquérrima! 




sexta-feira, 30 de agosto de 2019

MAGUI E OS ACESSÓRIOS DE PRAIA

Bem sei que uma pulseira no tornozelo não se pode considerar um acessório de praia, no entanto, vou no bom caminho quanto a estes adereços.
Faltam-me os abajures para pendurar nas orelhas, as penas de galinha para juntar ao soutien do biquíni, uns chifres de boi pendurados na anca, 50 pulseiras em cada braço, um búzio ao pescoço, um fardo de palha na cabeça para me proteger do sol e uma saída de praia com crina de cavalo.
Esqueci-me de alguma coisa?





sexta-feira, 2 de agosto de 2019

DON' T CRY FOR ME BLOGOSFERA

que é certo e sabido que as férias são uma ilusão, é um ar que se lhes dá e num instante estou de volta, mas enquanto o pau vai e vem folgam as costas.
Danadinhos para saber o meu destino de férias, ?
Só vos posso dizer que a bagagem inclui 2 jerricãs devidamente certificados com combustível, parapente, kitesurf, uma carroça puxada por 3 burros e o que for necessário para assegurar o regresso a casa em tempo útil, no caso de não conseguir ir trabalhar no devido dia, o que me iria custar horrores.
Posto isto, goodbye que eu good fico.

quarta-feira, 31 de julho de 2019

PORTANTO, A MINHA VIDA NÃO É ISTO

Durante anos a fio nunca precisei de comprar protectores solares, vinham cá parar à borlix.
Não tinha nenhum blog nem sabia o que isso era.
Agora que tenho um, nem uma amostra de creme para as hemorróidas, Este blog recebe.
Não acho isto incarátli, como diz uma amiga minha.
Atão e de onde vinham os protectores, perguntam vocês com cara de gozo que vos fica tão bem.
Têm nada com isso, mas para não pensarem que tenho um passado de gamanço, vinham dum comércio que os meus pais tiveram.
Impressionante, vocês. Sempre a meterem-se na vida de cada um…

sexta-feira, 26 de julho de 2019

LOOK LOOK

Tenho visto e lido muitos sites e blogues que aconselham as mulheres a partir dos 50 anos a vestirem de forma confortável e elegante.
Nada contra. Uma mulher de 50 anos, já passou cerca de 18 000 dias a queimar os fusíveis a pensar no que vestir e se não empacotar brevemente e enquanto não vier a moda de tudo ao léu, ainda tem muitos outros para estorricar.
Como a maioria do mulherio gosto de trapos e como já ultrapassei a barreira do som dos 50, vou cuscando alguns desses sites/blogues.
Durante muitos anos consegui esbardalhar a coluna e os pés usando saltos muito altos, com o tipo de formato que decididamente não é para pés, usei muitas mini-saias com collants que me causavam comichão como se tivesse as pernas cheias de carrapatos.
Verdade que actualmente já não tenho paciência (nem saúde) para usar seja o que for que me deixe à beira de um ataque de caspa no céu da boca, mas gosto de andar azadinha.
Mas, também é verdade que cada mulher é um caso, que o que é bonito e confortável para mim, pode não ser para a minha vizinha, o que não significa que nos dois casos haja mau gosto ou falta de bom senso, para além de que, o factor trabalho também pode influenciar a forma como nos vestimos.
Por isso acho que muitas vezes esses conselhos pecam por exagero chegando a ser ridículos.
Já vi um desses sites que mostravam uma foto da princesa Diana, que como todos sabem viveu até muito depois dos 50 anos e uma foto da Victoria Beckham, que é um exemplo de corpo que a maioooooooooooooria das mulheres tem. Pois!
Faz-me lembrar um programa inglês que passou há uns anos na televisão, em que duas stylists ensinavam as comuns mortais a vestirem-se de maneira diferente ou mais apropriada, ou mais... o que quiserem.
Num dos episódios que vi, as ditas senhoras pegaram numa outra que trabalhava numa quinta e dava aulas de equitação e transformaram-na na Margaret Thatcher lá do sítio.
No fim do programa lá estava a desgraçada com um sorriso amarelo a segurar uma criança em cima dum cavalo.
Aposto que lhe calçaram umas botas Louis Vuitton para pisar bosta de cavalo.