segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A MINHA TERRA É "MAI" LINDA QUE A VOSSA!

No fim-de-semana ocorreram na minha terra, as tradicionais festas, com tudo aquilo a que qualquer festa popular religiosa portuguesa tem direito e que atrai à terra centenas de forasteiros.
Comes e bebes, bailarico, noite de fados com fadistas da terra, missa, procissão.
Todos os anos existe uma Comissão de Festas, que trabalha afincadamente por amor à camisola, para que tudo corra bem.
Grande parte da verba angariada no decorrer da Festa é entregue ao Prior da freguesia, para - supostamente - ser aplicada no melhoramento da Capela e da casa mortuária (esta última, construida com dinheiro da população, crente e não crente), mas, são assuntos em que não quero meter o bedelho.

Mais uma vez, fui ao baú das fotos antigas e retirei uma em que vou numa procissão de outros tempos, vestida de branco, junto de mamãe. 
O barco que levo nas mãos (miniatura dos barcos de arte xávega) está repleto de notas, assim, como todos os outros.
Já em criança, eu queria era festa!





10 comentários:

  1. Pequeno caso sério21 agosto, 2017

    Essas "doações " que se fazem é sempre um assunto...intrigante. Mas não vamos por aí.
    O que interessa é a festa. Nada como as festas de verão para trazerem vida às aldeias deste país. Se fosse eu a mandar e era verão o ano todo.
    ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu gostava que fosse Verão todo o ano.
      Vamos fazer um abaixo-assinado ... :))

      Eliminar
  2. É bom recordar os tempos que nos fizeram felizes...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pena que a minha memória não os consiga reter a todos.

      Eliminar
  3. Pena não ser festa todo o ano... -.-

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Provavelmente, muita festa cansava ...😁

      Eliminar
  4. A capela mortuária pode ser usada por qualquer pessoa, desde que respeite a crença católica e mesmo que não tenhas contribuídos podes ir lá parar um dia. Mas tb não vais conseguir saber :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma casa mortuária, junto da capela, tem símbolos católicos que se podem retirar se o defunto assim o manifestou em vida.
      Por isso, é um sítio para todo o tipo de defunto. Se for crente segue depois para a capela para a cerimônia religiosa, se não for vai direitinho para o cemitério, nem dá trabalho ao padre.

      Eliminar
  5. As festas da aldeia são sempre momentos de boa disposição. O dinheiro reverter para a paróquia também é bom, mas poderia ser utilizado para ajudar a população também.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sou crente e de alguma forma contribuo sempre para as festas. Porque a festa atrai turistas e é uma alegria para os locais.
      O resto como disse o filósofo Jorge Jesus são "peaners".
      Beijo

      Eliminar